quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Fotos do antigamente. O cais do Porto Santo


Situado na costa sul, a meio da baía, o cais do Porto Santo é hoje um monumento e um ícone do Porto Santo. Com a construção iniciada em 19 de Março de 1929, foi importante para a ilha pois por ali embarcavam e desembarcavam  os passageiros e as mercadorias essenciais para a ilha.
Assente em pilares, tem 102 metros de comprimento e quatro de largura e é normalmente é um cais de fácil acesso a barcos de pequenas dimensões, exceto quando há vento e mar forte, entre leste e sudoeste, em que este fica exposto á forte ondulação ficando impraticável.
 Por ele passaram milhares de passageiros que dos navios fundeados ao largo ou provenientes dos barcos que faziam ligação com a Madeira, ali desembarcavam.
 Milhares de toneladas de mercadoria também ali foram descarregadas, mas ja num período mais recente, visto os barcos carreireiros encalharem na praia para procederem á descarga da mercadoria vinda do Funchal e á carga para lá destinada .
Com a entrada em funcionamento do porto, em inicio dos anos oitenta, o cais deixou de ser usado na finalidade para que foi construído, sendo hoje  apenas um cais de passeio, e apesar de ter sido restaurado há alguns anos, encontra-se bastante abandonado, precisando de uma rápida intervenção.É muito procurado pelos pescadores desportivos por ser um local seguro para a pratica da pesca e ao mesmo tempo muito acessível.




Carreireiro atracado ao cais com um pouco de ondulação

Carreireiro "Devoto Santissimo" chegando do funchal

Navios Pirata Azul e Alizur Amarillo atacados ao cais.

Carreireiros a carregar 




Barcos na praia, o lugar mais seguro na altura para deixar uma embarcação

Barcos de pesca fundeados ao pé do cais

Carreireiros a sair para atracar o Milano que chega do Funchal com passageiros



Descarga de carga pesadas na praia a partir de um batelão




Se alguém se achar no direito de reclamar a autoria de algumas das fotos por favor contacte-me que eu as retirarei, o que seria uma perda para a informação deste post.
Texto: Elvio Leão



Nenhum comentário:

Postar um comentário