quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Tide Carrier em situação aflitiva.

O cargueiro  de 263 metros “Tide Carrier”, numa situação complicada  quando, em situação de mau tempo, arrastou a ancora (garrou) ficando perigosamente perto da costa ao sul de Bergen.
O pessoal  que não era necessário para a operação de reboque foi retirado por helicóptero, tendo o navio sido salvo na manha de hoje.










Maria P á deriva a 200 milhas de São Miguel

O navio da Box Lines "Maria P" encontra-se com avaria na maquina a cerca de 200 milhas de São Miguel.
A avaria  deu-se quando o navio de dirigia para Lisboa.
O rebocador de alto mar "Red Sea Fos" que se encontra posicionado na Madeira neste momento dirige-se para o Maria P para o rebocar para Lisboa, onde se prevê que chegue no dia 27.







Fotos Marinetraffic.com 










terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Plataforma Judy debaixo de temporal

Vídeo filmado da plataforma “Judy” no Mar do Norte com  gigantes ondas de 15 metros atingindo a plataforma “CSCL Rival” Janeiro. 




 
Foto:ConocoPhillips

A plataforma Judy está localizada no campo Jasmine,e é  operada pela  ConocoPhillips, a cerca de  149 milhas a sudeste de Aberdeen, numa profundidade de 80 metros.


Norwegian Cruise Line encomenda 4 novos navios

 A Norwegian Cruise Line Holdings Ltd. anunciou hoje que chegou a um acordo com a Fincantieri SpA para construir a próxima geração de navios  para a  Norwegian Cruise Line.

 Quatro navios estão previstos  para entrega em 2022, 2023, 2024 e 2025, com uma opção de mais  dois navios a serem entregues em 2026 e 2027.



Os quatro navios de 140.000 toneladas brutas cada um terão capacidade para  aproximadamente 3.300 passageiros .
Foto :Norwegian Cruise Line


.Os detalhes sobre os muitos convidados inovadores dos navios e as características do primeiro no mar serão anunciados em uma data posterior.



domingo, 19 de fevereiro de 2017

Navegar no seu combustível, sonho ou realidade

Imagine-se um navio que navega no seu próprio combustível, isso mesmo, usando a agua do mar como combustível.

Isso já esta muito perto de se tornar realidade com o Módulo de Intercâmbio de Catiões Eletrolíticos, ou E-CEM ,que  foi desenvolvido pelo US Naval Research Laboratory.



É um dispositivo para a captura de dióxido de carbono da água do mar, e também gera hidrogênio como um subproduto, o que significa que você tem seus dois ingredientes básicos para fazer o seu próprio combustível.

Módulo de Intercâmbio de Catiões Eletrolíticos,

Isso é uma boa notícia para a Marinha, com a produção de  hidrogênio ,também poderia significar o uso  de hidrogênio em veículos elétricos de célula de combustível.


Este  dispositivo, chamado de Módulo de Intercâmbio de Catiões Eletrolíticos,  todo o processo ocorre sem a necessidade de produtos químicos adicionais ou a criação de subprodutos tóxicos.
Essa é uma enorme vantagem em comparação com os processos convencionais de recuperação de CO2 a partir da água do mar.


Esperemos que avance rápido a bem do nosso planeta.




Lobo Marinho 1 no Porto Santo em Julho de 1996

Logo que começou a operar entre o Funchal e o Porto Santo, o Lobo Marinho  despertou a curiosidade dos madeirenses levando a excelentes ocupações do navio.






Deois da experiência em 1995 do "Lady of Mann" a Porto Santo Line  adquiriu na Grécia o ferry "Pernas Safari" fazendo algumas alterações para permitir a operação no Funchal e Porto Santo com automóveis, camiões e contentores e começando a operar em Junho de 1996.


Ficam umas fotos para os saudosistas.


Cimenteiro "Terceirense" "Lobo Marinho" e "Madeirense"



©: Fotos: Revista de Marinha

sábado, 18 de fevereiro de 2017

Thunder Child em testes

A embarcação de patrulha Thunder Child , alimentada por motores C12.9 Caterpillar 1.000 hp. durante os testes eles com ventos de 50 nos e ondas de 6m, durante os quais a embarcação teve um excelente comportamento.



Foto Safehaven Marine .



O XSV 17 'Thunder Child' é um desenvolvimento da nova gama Barracuda de alta velocidade, concebida para embarcações de patrulha para operações comerciais, SAR e navais. O novo design traz capacidades ainda maiores incorporando maior velocidade, maior alcance, maior capacidade da tripulação e um RCS ainda mais baixo.